Ceará não joga amanhã contra o Iraty e técnico utiliza três zagueiros em coletivo, mas pode manter esquema com quatro no meio

Caçapa, técnico do Operário, tem dúvidas para a escalação do time titular que encara o Iraty amanhã, pela segunda rodada do octogonal final do Campeonato Paranaense. No coletivo de ontem, ele treinou com três zagueiros: Leonardo, Delazzari e João Renato.

A mudança ocorreria por conta do imbróglio envolvendo o meia Ceará. Apesar do confronto com o Cascavel não ter se encerrado, o meia tomou o terceiro cartão amarelo, e ainda que hajam dúvidas quanto a qual jogo ele deverá cumpria a suspensão (se seria no de amanhã, na continuação do duelo com Cascavel, ou ainda no confronto diante o Corinthians-PR, que acontece dias após os 60 minutos complementares da primeira rodada), ele não será utilizado amanhã.

Com isso, uma vaga no meio de campo fica em aberto para o jogo no Emílio Gomes. Caçapa chegou a treinar com o trio de zaga, e com um meio de campo formado pelos alas Lisa e Gilson, além de Dario, Serginho Paulista e Serginho Catarinense.

Entretanto, o técnico não gostou do que viu, e pode manter o 4-4-2 amanhã. Com isso, a opção seria Marcelinho entrar no lugar de Ceará. ?Testei o esquema com três zagueiros, mas não gostei, vou ver amanhã (hoje) se encaixa esse sistema e como vamos fazer?, disse. A tendência, apesar do mistério, é que de fato o esquema com duas linhas de quatro jogadores seja mantido no confronto de amanhã. No ataque, independente do esquema adotado, deverá ser formada por Baiano e Clênio, que atuaram na vitória sobre o Nacional e no início diante o Cascavel.

Ingressos
A diretoria do Operário informou que o Iraty se negou a disponibilizar ingressos para a partida de amanhã para Ponta Grossa. Os bilhetes serão vendidos apenas em Irati, a partir das 10 horas de domingo, aos preços de R$ 20 e R$ 10. Para as torcidas organizadas que quiserem comprar uma quantidade maior, serão disponibilizados ingressos antecipadamente. Basta entrar em contato com o gerente do Iraty, Geraldo Campagnoli, pelo telefone 3422-2135.

Outra informação que não deve agradar nem um pouco o torcedor do Operário é a proibição, por parte da Polícia Militar, de bandeiras, faixas, instrumentos e até camisetas de torcidas organizadas dentro do Estádio, durante o jogo.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 27/03/2010).

Os comentários estão encerrados.