Em continuação de partida, goleiro falha e Operário cede empate em casa, com um jogador a mais; com apenas um ponto, equipe tem situação complicada no octogonal final

A primeira rodada do octogonal final do Campeonato Paranaense enfim terminou para Operário e Cascavel. E a continuação do primeiro jogo terminou de maneira desfavorável para o time ponta-grossense. Com um jogador a mais, o alvinegro empatou em 2 a 2 e viu mais uma vez um goleiro seu falhar, sofrendo o empate faltando menos de quatro minutos para o fim da partida.

As duas equipes entraram em campo ontem para continuar um jogo que havia sido paralisado na semana passada. A bola começou a rolar no Germano Krüger a partir dos 31 minutos do primeiro tempo, com placar de 1 a 1, a partir do exato momento em que a partida havia sido parada na quarta-feira passada (24), por conta da chuva.

O time alvinegro começou os 60 minutos restantes de partida com uma escalação diferente daquela que estava no gramado do Germano Krüger na semana passada. Por conta do regulamento não muito claro, o meia Ceará, que aos 26 minutos de jogo da semana passada recebeu cartão amarelo (o terceiro na competição), não jogou ontem à noite.

No lugar do meia Caçapa escalou Rafael Leandro, atacante, e com isso a equipe ponta-grossense iniciou os 60 minutos restantes com três atacantes, Baiano fazia o papel de meia, enquanto que Rafael e Clênio formavam a dupla de ataque. A ordem do treinador era que o Operário, por conta do tempo menor de jogo, pressionasse o adversário.

A pressão desejada pelo técnico alvinegro se fez presente nos 15 minutos restantes do primeiro tempo. Apesar de ter maior posse de bola, os donos da casa não conseguiam transformar o domínio em oportunidades. Já os visitantes se mantinham na defesa e apostavam em perigosos contra-ataques.

Sem o efeito desejado da pressão imposta na primeira etapa, o Operário Ferroviário voltou do intervalo disposto a manter a blitz em cima dos visitantes e repetir o domínio da partida. Entretanto, o mesmo problema da primeira etapa se fez presente na parte final da partida. O Operário criava, dominava, mas não conseguia chegar ao segundo gol. Improdutivo, o ataque alvinegro sofreu mudanças depois de meia hora de segundo tempo. Dyego Souza, única opção para o setor, entrou no lugar de Rafael Leandro.

A mudança surtiu efeito, e o jogador, que até então não tinha marcado com camisa do Operário e era bastante criticado pela torcida, aos 27 minutos do segundo tempo anotou seu primeiro gol em Vila Oficinas, após cobrança de escanteio. Com 2 a 1, a situação do Operário ficou mais tranquila, sobretudo após a expulsão de Rodrigo.

Porém, aos 42 minutos, em uma falha de Filipe, Rafael conseguiu o empate. O cenário, que era tranquilo, se tornou pavoroso para o time ponta-grossense, que com um jogador a mais, tentou, em vão, o terceiro gol. Com apenas um ponto, a situação do Operário fica mais complicada no octogonal final.

O time ponta-grossense volta a jogar no fim de semana. Na próxima rodada o Operário encara o Corinthians Paranaense, no domingo, às 18h30, no Germano Krüger.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 1/04/2010).

Uma resposta a DCMais: “Blitz” falha e Operário fica no empate com o Cascavel

  • BOZO disse:

    Perdemos, no mínimo, 7 pontos neste PR-2010, por conta dos frangueiros. Por favor, a prioridade ano que vem é um cara pra fechar o gol, um goleiro de verdade, de futebol profissional.
    Em dia que até o Dyego Souno fez gol!!!!!!!!