Último Gol do Operário Ferroviário
atacante Sandro
Sandro
Operário 2 x 0 Toledo   26” 2ºT
13/04/2014 16h00   Paranaense 2014
Germano Krüger - Ponta Grossa - PR
Última Partida
Paranaense 2014
Operário Ferroviário Esporte Clube
Toledo Colônia Work
2
0
Operário
x
Toledo
13/04/2014
Germano Krüger
Ponta Grossa - PR
Próxima Partida
Paranaense 2015
Maringá Futebol Clube
Operário Ferroviário Esporte Clube
Maringá
x
Operário
01/02/2015 17h00
Estádio Willie Davids
Maringá - PR

Sem calendário até o Campeonato Paranaense de 2015, Operário desfaz a equipe; Paulo Foiani relata que não existe nenhuma negociação para permanecer no clube

Sem calendário até o fim do ano o Operário deve liberar o restante de seus jogadores nos próximos dias. A última partida aconteceu no domingo, válida pelo Campeonato Paranese. Existe a possibilidade dos atletas que têm contrato mais longo com o clube serem emprestados para outras equipes e voltarem ao Fantasma em 2015. Em relação ao técnico Paulo Foiani, em entrevista coletiva após a partida do último domingo, ele declarou que não negociou nada com a diretoria do clube.

“Não tive nenhuma conversa com a diretoria, meu contrato aqui era até o final do ‘torneio da morte’. Lógico que meu trabalho transpareceu, foi bem visto, com a minha ajuda e dos meus atletas a gente conseguiu a permanência do Operário na primeira divisão. No futuro eu acredito que a diretoria possa ter uma conversa entre eles, vou aguardar e ver o que a gente tem para o futuro”, relatou o Foiani.

Assim como já falava o ex-técnico Gilberto Pereira, Foiani destacou que é preciso planejamento para o clube na hora de montar a equipe e citou as equipes do interior que chegaram a final do Paranaense como exemplo. “Vamos analisar pelo Londrina, eles estão com uma base de dez atletas há três anos, e é o terceiro ano consecutivo que eles têm série D, então, o que acontece, os jogadores que se destacam eles vão e vendem e repõem as peças pontuais. Você tira pelo Maringá que chegou para final, é uma equipe que terminou a segunda divisão, basicamente a mesma, trouxe peças, ai você diminui custos”, analisou o técnico.

Em relação à atitude dos jogadores na primeira e na segunda fase do Paranaense, Foiani destacou que a organização dos atletas em campo era o ponto principal. “Precisava organizar a equipe, porque assim, era questionado muito a preparação física, que o time não tinha força para poder correr os 90 minutos e em todos os jogos o Marcelo (goleiro) era o homem do jogo. A partir do momento que você sai em um momento certo no contra-ataque, que faz o simples, você vai estar com mais força, com mais gás para definir a jogada”, explicou.

Na partida o Operário se despediu da torcida com vitória, venceu o Toledo pelo placar de 2 a 0, com gols marcados por Sidnei e Sandro, com a derrota Toledo foi rebaixado. Na outra partida do descenso entre Cianorte e Arapongas o placar terminou em 2 a 0. Como o Cianorte já estava rebaixado a vitória garantiu Arapongas na primeira etapa. Durante o descenso o Operário conquistou cinco vitórias em seis, mais pontos do que na primeira fase do Campeonato. Na primeira fase do campeonato, em 11 rodadas, o Fantasma conquistou 13 pontos.

Protesto
As pretensões do Operário no começo do Campeonato Paranaense eram a conquista da vaga para a série D, mas pelo terceiro ano consecutivo, o Operário ficou sem calendário. Fato que gerou protestos da torcida. A organizada, que em todos os jogos cantava para apoiar os jogadores, ficou em silêncio até o fim do segundo tempo, quando passou a cobrar a diretoria do clube, cantando até o final da partida: “Diretoria, presta atenção, em 2015 série D é obrigação”.

Por Rafaela Serrato (Diário dos Campos – 15/04/2014).

O Operário venceu ontem o TCW por 2 a 0 pela penúltima rodada do Torneio da Morte do Campeonato Paranaense, em Ponta Grossa. Com esse resultado, o Toledo foi rebaixado.

O Fantasma terminou em primeiro no grupo do descenso com 15 pontos, o segundo foi o Arapongas com 10 e livre do rebaixamento já que venceu o Cianorte.

O primeiro gol foi marcado pelo Sidnei aos 15 minutos do segundo tempo. Sandro ampliou o placar aos 26 minutos, definindo o jogo.

Da Redação (Diário dos Campos – 14/04/2014).

O atraso no início de jogo entre Operário e Toledo mostrou a tensão que envolvia a partida. Com garantia na elite do futebol paranaense 2015, o Fantasma entrou em campo apenas para cumprir tabela. Enquanto, o Toledo entrou com a obrigação de vencer o alvinegro pontagrossense para não ser rebaixado. E aproximadamente, 50 torcedores viajaram para Ponta Grossa para apoiar a equipe.

No primeiro tempo, as duas equipes erravam muitos passes e não conseguiam criar grandes oportunidades de gols. No final do primeiro, Pedrinho foi expulso. Na volta do intervalo, o técnico Richard Malka fez algumas alterações, mas mesmo com um jogador a mais não conseguia passar pela zaga alvinegra. E o Operário aproveitou as falhas defensivas do time de Toledo para sair com a vitória. Aos 15 minutos, Sidnei recebeu livre , driblou o goleiro Giovani e abriu o placar.

Os jogadores do Toledo que já estavam nervosos com o resultado de Arapongas e Cianorte, ficaram ainda mais com o gol de Sidnei para o Operário. E assim, ficou mais fácil para o Fantasma ampliar o placar. Aos 26 minutos, Sandro recebeu e tocou na saída do goleiro, decretando a vitória do alvinegro pontagrossense e o rebaixamento do Toledo. Após o gol, o Operário passou a controlar a partida, já o Toledo não conseguia chegar ao gol de Vinícius e o resultado terminou em 2 a 0 para o Fantasma.

Primeiro tempo de muitos passes errados e poucas chances de gols
Quando a bola rolou, o jogo começou equilibrado. As duas equipes articulavam jogadas, mas não conseguiam acertar o último passe. O Fantasma ainda tentava assustar o adversário com jogadas pelas laterais, principalmente pelo lado esquerdo com Marquinhos. Já o Toledo buscava nas bolas paradas, cobradas por Robson Goiano, abrir o placar.

A partir dos 15 minutos do primeiro tempo, o Fantasma começou a pressionar o Toledo com jogadas pela esquerda com Marquinhos, que em duas oportunidades chegou na área do adversário e conseguiu ganhar escanteio.

A torcida do Fantasma reclamava do número de faltas marcadas em favor a equipe visitante. O primeiro tempo ficou marcado pelo grande número de erros de passe e de poucas oportunidades de gol. O nervossísmo, que já era grande na equipe comandada por Richard Malka, aumentou quando anunciaram, no Germano, o gol do Arapongas sobre o Cianorte.

Após o gol do Arapongas, os jogadores de ambas equipes ficaram nervosos. E aos 43 minutos, Sandro sofreu falta dura, após confusão, o árbitro expulsou Pedrinho por uma suposta simulação de agressão feita pelo adversário no jogador do Operário.

Na volta do intervalo, Operário volta melhor e vence o Toledo
Com a vantagem numérica, o técnico Richard Malka fez duas modificações na equipe de Toledo, no intervalo. Ele promoveu os meias Murici e Diego Luiz.

A partida continuava equilibrada, com ambos times criando jogadas, mas que não assustavam os goleiros. Até que aos 15 minutos da segunda etapa, Sidnei recebe livre, dribla o goleiro Giovani e abre o placar para o Fantasma. A partir do gol, o Fantasma começou a controlar o jogo. Os jogadores do Toledo nervosos, não conseguiam demonstrar reação.

Aos 20 minutos, Sandro invadiu a área chutou e o goleiro Giovani conseguiu salvar o que seria o segundo gol do Operário. Logo em seguida, o Toledo balançou as redes, mas o assistente marcou impedimento no lance. Mas aos 26 minutos, Sandro recebeu livre, tocou na saída do goleiro e ampliou para o alvinegro pontagrossense.

O Toledo ainda tentava diminuir, mas os jogadores não tinham mais forças para buscar o resultado. O atacante Cairo ainda teve a última chance de cabeça, mas Vinícius fez uma defesa milagrosa e o resultado permaneceu em 2 a 0 para o Operário até o apito do árbitro.

FICHA TÉCNICA
OPERÁRIO X TOLEDO

Operário: Vinícius; Alex (Matheus), Basso, Marquinhos Sá e Marquinhos; Cleber (Bruno), Dime, Sidnei, Pedrinho e Sandro (Baiano); Jorge Preá.
Técnico: Paulo Foiani.

Toledo: Giovani; Maicon, Diogo Batista, Duda e Samuel; Marcão (Murici), André Luis (Diego Luis), Kasado, Robson Goiano e Tcharlles; Cairo.
Técnico: Richard Malka.

Local: Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa
Data/Horário: 13/04/2014, às 16h.
Árbitro: Felipe Gomes da Silva
Assistentes: João Fábio Machado Brischiliari e Rafael Dias de Melo

Renda/Público: R$ 10.110,00/ 1124 total/ 799 pagantes
Cartão Amarelo: Cleber, Basso, Sidnei, Baiano (Operário) e Maicon (Toledo).
Cartão Vermelho: Pedrinho (Operário)
Gols: Sidnei, aos 15 minutos do 2º tempo e Sandro, aos 26 minutos do 2º tempopara o Operário.

Por Julian Lima (Redação em Campo – 13/04/2014).

Tabelinha


Copie e cole o código abaixo em seu site/blog

+ Operário

Redação em Campo
 
OPERARIO.COM
 
Blog do Fantasma
 
Timão é o Fantasma
 
Luciano Mendes - Criatividade em Fotografia (42)9949-6397
 
 
 
Add to Technorati Favorites